Francisco Beltrão sedia Fórum de Autismo do Sudoeste do Paraná
Publicado em 18/07/2019

A cidade de Francisco Beltrão será sede do 1° Fórum de Autismo do Sudoeste do Paraná, neste sábado, dia 20 de julho. O evento reúne profissionais da saúde, educação, acadêmicos, juristas, e contará também com a presença de autoridades para debaterem o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) em todos os seus aspectos. Um dia inteiro de palestras para um público já confirmado de aproximadamente 500 pessoas, das 8h às 18h, no Centro Sulamericano de Ensino Superior (Cesul).

O evento está sendo realizado em prol da Associação de Proteção à Pessoa com Transtorno de Espectro Autista de Francisco Beltrão – Arcanjo Rafael (AMA-FB) que hoje acolhe cerca de 30 crianças e pretende se tornar centro de referência no atendimento especializado em autismo no Paraná. A sua realização contará com o apoio de 26 empresas e instituições, além do voluntariado dos palestrantes, profissionais das áreas de Fisioterapia, Nutrição, Oftalmologia, Odontologia, Neuropediatria, Neuropsicopedagogia, Psicopedagogia, Jurídica, entre outras. Os acadêmicos interessados poderão obter certificado de horas complementares.

A ideia do evento surgiu há cerca de quatro meses, em visita à cidade do deputado estadual subtenente Everton que também é membro da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência (CRIAI). “A inclusão e a melhoria na qualidade de vida de crianças e adolescentes autistas só será vitoriosa com muita luta e amor envolvido”, declara.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que há 70 milhões de pessoas com autismo em todo o mundo, sendo 2 milhões somente no Brasil, ou seja, uma em cada 88 crianças apresenta traços de autismo, com prevalência cinco vezes maior em meninos. Embora não existam dados oficiais, no Paraná teriam mais de 100 mil crianças autistas, o equivalente a 0,96% da população do estado.

Sobre o Autismo

O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é um transtorno do neurodesenvolvimento, caracterizado por padrões de comportamentos repetitivos e dificuldade na interação social, que afeta o desenvolvimento da pessoa. A causa do autismo ainda não é totalmente conhecida, apesar de haver estudos que relacionam o TEA com substâncias químicas, agentes infecciosos, fatores nutricionais, idade gestacional, baixo peso ao nascimento, infecções maternas, estresses físicos e psicológicos, além de influência de fatores genéticos e disfunção do sistema nervoso central (SNC) que levam a alteração no padrão do desenvolvimento da criança.

 

FONTE: RBJ



Postado por: Ademir Hanzen-Panorama FM
Fotos: Divulgação